quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Sumida... Eu?????

Essa tirinha vai em homenagem a todos os vigaristas, vagabundos e cafajestes que já passaram pela minha vida e da maioria da vida das minhas amadas amigas...


Depois de uma noite perfeita, prometem mundos e fundos e somem... Pra mim vocês são e sempre serão COVARDES... 

Adorei e recomento: http://www.mulher30.com.br
Pandora.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Na beira do precipício...


Se você tivesse chegado antes, eu não teria notado.
Se demorasse um pouco mais, eu não teria esperado.
 Você anda acertando muita coisa, mesmo sem perceber.
Você tem me ganhado nos Detalhes e aposto que nem desconfia.
Mas já que você chegou no momento certo, vou te pedir que fique.
Mesmo que o futuro seja de incertezas, mesmo que não haja nada duradouro prescrito pra gente.
Esse é um pedido egoísta, porque na verdade eu sei que se nada der realmente certo, vou ficar sem chão.

Mas por outro lado, posso te fazer feliz também.
É um risco.
Eu pulo, se você me der a mão.

Pandora

domingo, 28 de agosto de 2011

Serviço ruim...

Essa tirinha dispensa comentários... mas que tem dias que dá vontade fazer isso... hummm e como dá.

Pandora...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Saudade... de tanta coisa...


Me deu saudade de bastante coisa, principalmente de uma época diferente, onde os problemas eram grandes, mas havia uma solução mais simples para um bocado de coisas, segue então a milha lista da saudade:

- filmes dos anos 80 – como eram cheios de vida, histórias e, de certa forma, ingênuos.
- Escola – ir na escola tinha um ritual diferente, havia lapis, canetinha, lapis de cor, compasso, réguas, papéis diferentes. Fico pensando de onde sairão os novos Picassos.
- Músicas – as músicas dos anos 80 eram fenomenais, de lá vieram bandas que estão até hoje por aí.
- Cartas – que email que nada, o negócio era mandar cartinha, quanto maior, melhor.

- Festinhas juninas – tinha correio elegante, cadeia e quadrilha, que retornam agora com força total, por conta dos saudosistas.
- Copa do mundo – romantismo era a palavra de ordem, torcer e torcer. Hoje compramos a copa.
- Família – sou do tempo que eu Morava com papai e mamãe. Meus sobrinhos moram com os avós enquanto papai e mamãe trabalham.
- Carros – vidros manuais, direções duras, câmbios manuais e o famoso toca fitas com tojo – nada mais velho e bacana.
- Figurinhas – batia bafo na escola sem pastelão e dedinho.
- Bola de gude – era o rei do “palmo canhão careca cabeludo”, espécie de jogada montada onde você praticamente roubava o oponente.
- Pipa – na minha época podia soltar e eu tinha um pequeno comércio de pipas bonitas na garagem.
- Balão – na minha rua reinavam os integrantes do baleão, grupo que soltava balão com agasalho de leãozinho e tudo.
- Namoradas – que coisa boa, namorar, sonhar, esperar.
- Brigas na escola – brigávamos mesmo, fizeram dezenas de filmes sobre isso. O mais bacana, “conta comigo”, quase ganhou oscar.
- Feira de ciências – juro que fiz uma nave especial que saía do chão, embora o chão quase se desintegrasse.
- Skate – eu comprei um tennis Mad Rats e minha mãe quase me colocou pra for a de casa.
- Kixute – eu nunca soube se era melhor amarrar na canela ou na sola.
- Taco – alguns chamavam de bétis, mas era legal pacas.
- Beijo, abraço e aperto de mão – quem nunca fez isso?
- Bailinho – com toldo preto na garagem e tudo. Mágico.
- Desenhar e pintar – valia a pena ainda mostrar para os pais.
- Boletim – era difícil não levar pra casa.
- Autorama – quem nunca sonhou com um?
- Playmobil – eu tinha todos e quando perdiam o cabelo metia chiclete lá.
- Falcon – dedinhos quebrados de tanto pendurar no varal.
- Barbie – inimiga número um dos meninos.
- Menudos – eca.
- Disco de vinil – dava pr aver o tamanho da música antes de tocar.
- Piquinique – só se vê hoje no interior.
- Pião – o tio do banheiro da escola fazia pra mim de madeirinha, era lindo.

- Hino – eu cantava todas as quartas, meus sobrinhos acham engraçado.
- Cinto de segurança – eu não sabia o que era isso.
- Água – tomava um litro por semana e estava bom, de repente tem que tomar um por dia.
- Sonhar mais.

By: Alberto Leite

Pandora.

domingo, 21 de agosto de 2011

Levando a vida... Como um passeio...


"Ria de si mesmo.
Crie a sua própria vida.
Não deixe que os outros a determinem.
O que quer que faça, faça pelas suas razões - porque se encaixa nos seus planos e lhe dá prazer.
Afaste-se de pessoas e coisas que o levam para baixo.


Lembre-se: você é o motorista. Fique no acento do motorista porque assim você pode parar, voltar, acelerar ou virar.
Mantenha a sua independência de pensamentos.
Curta a sua imaginação e sonhos.
Perdoe-se.
Reserve um tempo para as pessoas, especialmente para aquelas que você ama.
Goste de aprender e seja partidário da mudança.
A vida é um presente surpreendente e maravilhoso.
Admire o passeio."

Pandora

sábado, 20 de agosto de 2011

One...

"Nesse momento há 6 bilhões, 470 milhões, 818 mil, 671 pessoas no mundo, algumas estão fugindo assustadas, algumas estão voltando pra casa.
Algumas dizem mentiras pra suportar o dia, outras estão somente agora enfrentando a verdade.

Alguns são maus indo contra o bem, e alguns são bons lutando contra o mal.
Seis bilhões de pessoas no mundo, seis bilhões de almas...
E as vezes tudo que nós precisamos é apenas uma!"

Pandora.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Pedidos....

Querido Deus,
Até agora o meu dia foi bom:
- Não fiz fofoca;
- Não perdi a paciência;
- Não fui gananciosa, sarcástica, rabugenta, chata e nem irônica;
- Controlei minha TPM;

- Não reclamei;
- Não praguejei;
- Não gritei;
- Não tive ataques de ciúmes;
- Não comi chocolate;
- Também não fiz débitos em meu cartão de crédito, nem dei cheques pré-datados;
Mas peço a sua proteção, Senhor, pois estou para levantar da cama a qualquer momento!
AMÉM!!!



Pandora.

sábado, 13 de agosto de 2011

Músculos?? Só Malhando...

Perfeito... é a melhor forma de ganhar músculos sem perder o prazer de comer....

Pandora.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Não quero alguém que morra de amor por mim...

Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando...

Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.

Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim...
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível...
E que esse momento será inesquecível...
Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre...
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento...e não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe...
Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas...
Que a esperança nunca me pareça um NÃO que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como SIM.
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros...
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão...
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim... e que valeu a pena.
By: Mário Quintana

Pandora.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Morte lenta e dolorosa...

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece...

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru...


Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos...
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos...
Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.
Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.
Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um feito muito maior que o simples fato de respirar.
Somente a ardente paciência fará com que conquistemos uma esplêndida felicidade...
By: Pablo Neruda
Pandora.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Por isso que ele era chamado de "O GRANDE"

Os 3 últimos desejos de ALEXANDRE O GRANDE:
1. Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;
2. Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados como prata, ouro e pedras preciosas;
3. Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a ALEXANDRE quais as razões desses pedidos e ele explicou:


1. Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO tem poder de cura perante a morte;
2. Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3. Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.
Pense nisso...

Pandora.